quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

One of my favorite scenes from "Skins"

Olá pessoal. Espero que a semana esteja a correr bem.
Hello everybody.

Ficam agora a saber que eu sou um diehard fã da série Skins. Espero este ano comprar as temporadas todas.
 I am a diehard fan of the series Skins. I hope to buy the DVD of all seasons this year.


Deixo-vos uma das minhas cenas favoritas. É da primeira temporada, quando Cassie explica a Sid um dos truques para disfarçar a anorexia nervosa das pessoas que o rodeiam.
I leave you with one of my favorite scenes. It's from the first season, when Cassie explains to Sid how to  hide anorexia from people around her.

Até a próxima.
See you next time.



domingo, 26 de janeiro de 2014

Portuguese foot wear.

Olá pessoal. 
Hello guys.

Hoje o dia está cinzento por estes lados, pelo que preferi ficar por casa.
Today the sky is gray, so I decided to stay home.

Vou falar sobre calçado. Quem me conhece sabe que eu prefiro o conforto ao estilo no que toca ao que colocar nos pés.
I will talk about shoes today. Anyone who knows me, knows that I prefer comfort rather than style when it comes to what to put on my feet.

Daí nada melhor que comprar sapatos made in Portugal, que são sem dúvida dos melhores.
So nothing better than buy shoes made ​​in Portugal, which are certainly the best.

Sou especialmente fã da marca Camport.
I am especially a fan of the brand Camport.


A empresa existe desde a década de 50 com o nome de Fábrica de Calçado Campeão de Portugal sendo considerada a "Universidade do calçado" em Portugal. Só em 1986 é que adotou o nome de Camport.
The company has been around since the 50s under the name "Fábrica de Calçado Campeão de Portugal" and is considered the "University of footwear" in Portugal. Only in 1986 was given the name of Camport. 

Sempre se destacou pela introdução de novas tecnologias bem como proporcionar um calçado leve mas igualmente forte e de alta qualidade.
Has always excelled by the introduction of new technologies as well as providing a lightweight but also strong and high quality footwear.

Penso que para a qualidade que tem nem é do calçado mais caro que temos no nosso país.
I think for the quality it has is not the most expensive shoes out there.

Para quem nunca experimentou, passem numa das lojas da Camport existentes (aqui no norte do país têm no Norteshopping e no Marshopping), e calcem para crer.
For those who have never tried, go to stores Camport (here in the north country are in Norteshopping and Marshopping) and try.

Eu tenho dois pares de botas e um par de sapatos, e digo-vos, é mesmo confortável, não cansa e dura, dura dura.
I have two pairs of boots and a pair of shoes, and I tell you, it's really comfortable, not tired and always look like new.




Recomendo sem dúvida, é um investimento bom.
I highly reccomend you. 

Continuação de um bom domingo.
Have a nice Sunday.

Até à próxima.
See you soon.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Dicas de treino

Olá pessoal. Espero que a semana esteja a correr bem.
Hello guys. I hope the week is going fine. 

No seguimento da publicação anterior sobre ectomorfia, hoje deixo-vos um vídeo sobre como ganhar massa muscular com qualidade segundo Bruno Salgueiro.
Following the previous publication on ectomorphy, today I leave you a video about how to gain muscle with quality according to Bruno Salgueiro.


http://www.youtube.com/watch?v=30hgc8EthyE&list=UUhsZDP7pW_08Sk6Tp4U8KJA

Não consigo anexar o vídeo aqui.
I can't attach the video here.

Boa sexta feira.
Nice Friday

sábado, 18 de janeiro de 2014

Magreza - Ectomorfia

Olá pessoal, espero que o vosso fim de semana esteja a correr bem!
Hoje é o meu dia de folga e decidi ficar por casa para descansar e tratar de mim, mas a verdade é que muito tempo livre para mim acaba por me cansar mais.

Daí que resolvi vir escrever sobre qualquer coisa, e como a ideia inicial deste blogue era falar do meu estilo de vida e explicar melhor o que consiste a ectomorfia ou por outras palavras MAGREZA, então vou tentar resumir sobre o que é isto.


Nestas três imagens temos os três biótipos convencionados internacionalmente. Eu sou um ectomorfo, isto é, uma pessoa que tem os braços e as pernas muito compridas em relação ao resto do corpo; a estrutura óssea é pequena e o ponto principal é que a massa muscular é muito pouca e o seu ganho é muito difícil de alcançar.

Para quem é do tipo endomorfo ou mesmo gordo acha que ser-se magro é uma coisa fantástica. A verdade é que durante muito tempo tinha bastantes complexos com isso pois além de ser gozado na escola, encontrar roupa que me servisse era muito difícil. Um tamanho que me assentava bem nos ombros ou na cintura eram sempre curtos nos braços e nas pernas. O contrário também era inevitável acontecer.

Entretanto consegui arranjar um meio termo para tentar corrigir isso. Continuo a ter problemas com os tamanhos estandardizados que só têm em conta os gordos e os "normais", mas já não sou um adolescente, logo isto já não é um problema de vida ou morte.

No entanto ter este físico tem as suas vantagens para quem quer ser atleta. Devido à baixa densidade óssea e muscular, um ectomorfo que seja corredor, nadador, ou até mesmo atleta de salto em altura consegue obter melhor rendimento, segundo as leis de Newton.

Por outro lado, falando do meu caso, posso comer tudo o que quiser, tendo sempre cuidado com os excessos, porque não corro o risco de aumentar demasiado a minha massa gorda. 

Ainda falando sobre mim, prefiro ser magro porque ao menos tenho pouco corpo para "cuidar". Às vezes penso nos gorilas que andam no ginásio a trabalheira que eles têm para manter o corpo deles em condições. Eu ao menos basta fazer uns treinos de manutenção básicos sem muitos esforços para garantir um corpo decente.

Um inconveniente que encontro neste momento é o facto de, por ser magro, parecer um menino. Ou seja cada vez que vou, por exemplo, a uma entrevista de emprego, devido ao meu físico ficam com a sensação que sou um rapaz que "ainda cheira a leite", quando estou mais perto dos 30 anos do que dos 20. 
Se me vestir como um business man, parece que estou a vestir-me para o Carnaval. 

Uma pessoa ectomorfa tem que ter bastante cuidado quando quer aumentar a sua massa muscular, isto não funciona da mesma maneira que uma pessoa com um físico endomorfo pois um treino de hipertrofia errado pode provocar a perda da pouca massa magra que se tem. Mas isso fica para uma próxima publicação. Assim tenho assunto para escrever aqui.

Até lá fiquem com a música que esta semana esteve sempre a passar no meu Spotify.

Continuação de um bom fim de semana.



quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Bonn e Köln - dia 2

Olá pessoal, hoje deixo-vos mais umas fotos do meu segundo dia em Bona.

Passei pela praça da antiga câmara onde estavam a fazer uma feira, em que me apercebi que um quilo de bananas custa 2,50€ o quilo - comer fruta na Alemanha é caro.
Passei pela igreja "das cabeças" e como é claro fui à Haribo comprar ursinhos que me souberam muito bem. Assustei-me com a quantidade maluca de variedade gomas que há bem como a quantidade que as pessoas compram.
As cabeças.

Haribo Store em Bona.


Estação Central de Bona.

À noite fui a Köln dar uma vista de olhos pela cidade.
Mal saí da estação fiquei abismado com o tamanho da catedral. É assustadoramente grande, por fora e por dentro. 
A Catedral.

Estação Central de Köln.

Eu abismado pela colossal Catedral.

Quando me encontrei com a Liliana fomos caminhar pela Hohe Straße onde o movimento é igualmente assustador. Fiquei a saber que os preços das roupas, calçado, perfumes etc. ou é mais ou menos o mesmo que aqui ou então mais barato. De facto percebe-se porque se vive bem lá.
Por fim fomos à Hoenzollernbrücke, outro local de paragem obrigatória. A ponte famosa não só pelo movimento de comboios diário que chega aos 1200, mas também pelo contágio da moda dos cadeados ou aloquetes como eu digo que se colocam na ponte para celebrar o amor. 

Vista da ponte.

Como disse no início não vim propriamente fazer turismo mas visitar a minha amiga, apenas dei uma vista de olhos por estas cidades. 
Quero voltar sem dúvida desta vez para poder conhecer melhor os espaços e a história das mesmas.

Posto isto despeço-me com muito amor.
Até à próxima.



terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Não me quero ir embora.

Chegou o dia de partir desta minha escapadela. Mas não me apetece nada voltar para o terceiro mundo e aturar malucos. Tem mesmo de ser?

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Bonn

Boas pessoal, hoje é a minha primeira publicação feita fora de Portugal. (que luxo)
 
Após umas seis horas de viagem, entre Porto e Weeze,  depois entre Weeze e Köln, passando por Düsseldorf e por fim entre Köln e Bonn, chego ao destino.
 
 
No Porto

Em Weeze

 
Tenho a dizer que não me senti perdido uma única vez. Claro que a minha amiga Liliana estava-me sempre a ligar a fazer o ponto de situação, mas parece que tudo funciona em condições, e as informações, mesmo estando todas em alemão, são muito fáceis de compreender (não sei uma única palavra em alemão).
 
Mal cheguei à estação central de Bona, fui recebido pela Liliana que me levou a uma discoteca. Esteve-se muito bem, mas acho as alemãs e os alemães muito estranhos na maneira como se divertem, parecia que estavam a fazer de conta que estavam a gostar, não pareciam estar a agir naturalmente.
 
Quando chegamos a casa, foi dormir até tarde.
 
O meu domingo em Bona consistiu em conhecer as principais praças, a universidade, a beira-rio junto ao Reno e as ruas comerciais. Não vim propriamente fazer turismo, mas para matar saudades e conhecer apenas um pouco esta zona.
 
 
 



 
 
 
À tarde fomos aos subúrbios a um café de portugueses ver o jogo Benfica-Porto, que mais valia não ter visto nada, já que a minha equipa perdeu.
 
Depois regressamos a casa porque estava um frio de rachar, embora toda a gente com que me cruzei diziam que estava muito quente para a época. (sim, havia quem andasse com pouca roupa, e eu com dois polares e um casaco em cima tremia como tudo).

Concluindo, achei a cidade muito bonita, tem um aspeto "escuro", como a nossa cidade do Porto, o que dá um ar mágico. Tem muitos espaços pedonais, no centro histórico, e muito verde. Num dia dá para visitar as atrações especiais desta cidade.
 
Hoje, segunda feira, vou outra vez a Bona, visitar a loja da Haribo, que não fazia ideia que era uma empresa natural de Bona, comprar muitas gomas de ursinhos :)
Também descobri que a sede da DHL fica aqui.
Ao fim da tarde vou a Köln visitar a catedral e as ruas da cidade. Depois faço uma publicação sobre o dia de hoje.
 
Até lá tenham uma boa semana.
 

 

 
 

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Escapadela de fim-de-semana

Olá pessoal. 
Finalmente é sexta-feira, se bem que amanhã ainda vai ser um dia de trabalho para mim. 
Mas desta vez vou aproveitar as minhas folgas para dar uma escapadela de fim de semana. Vou a Bona, na Alemanha, visitar uma amiga minha de longa data, já lá vão uns 13 anos!!!! (Nossa como o tempo passa).



Vai ser uma viagem e pêras: começando pela viagem de avião de duas horas e pico, como sempre pela Ryanair, passando por um transfer para a estação (apeadeiro) da localidade onde vou aterrar - rezando para que o meu voo chegue antes da partida dele - e terminando numa viagem de comboio de duas horas onde tenho que fazer um transbordo. A vantagem é que vou viajar num ICE, o comboio de alta velocidade alemão! (Eu tenho assim um fascínio por comboios, aviões, etc.)


Depois destas 6 horas de viagem (contando com os tempos de espera) lá chegarei ao pé da minha grande amiga e  logo se vê o que vamos fazer.
Se tiver acesso à net e oportunidade darei notícias.

Até lá, tenham um bom fim de semana com a minha #selfie de sexta-feira.


Até à próxima.

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

A minha gata

Olá pessoal. Hoje dedico a publicação à minha gata.
Chama-se Magui e tem 1 ano e 9 meses. É a minha companhia cá em casa e vive comigo desde os 6 meses.
É muito mimalha e adora brincar. Nunca pára quieta.
Nunca tive animais de estimação em casa por isso basicamente pareço uma criança porque ando sempre à volta dela a ver o que a bichana anda a fazer. À conta disso ela agora não me larga, onde quer que eu vá, ela vem sempre atrás. 

Sempre que regresso a casa depois de um dia de trabalho, ela já está à minha espera à porta a miar como se não houvesse amanhã. 
Enche-me de mimos (esfregadelas), passando logo de seguida para as exigências, sejam dar-lhe de comer, beber, brincar ou coçar-lhe a parte de baixo do focinho.

Termina sempre com umas lambidelas na minha mão.

Posto isto, deixo-vos uma foto dela ontem a noite num momento de psicose, que consiste em fazer sprints pela casa toda. Este foi um momento em que ela parou apenas para pousar para a foto, continuando a correria logo a seguir.




Até à próxima.

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

domingo, 5 de janeiro de 2014

Kafka à beira mar.



Bom domingo. 
Terminei ontem à noite o livro "Kafka à beira-mar" de Haruki Murakami (村上春樹).
À conta disso hoje de manhã não fui fazer o meu treino matinal.

Vou tentar fazer uma crítica ao conto e dar uma opinião. Aviso desde já que não sou o melhor neste campo.
A única certeza que tenho é que vou ter de o ler novamente porque a trama é elaborada apesar de Murakami escrever o texto de uma forma tão melódica que as palavras fluem facilmente pelo nosso cérebro.

A história mistura a vida real com a vida paralela, o limbo que consiste naquele estado entre a vida e a morte, onde não há memórias não há sensações não há nada. 
Consiste em duas personagens principais, Kafka Tamura, que aos 15 anos vive com o pai, um artista de renome e cuja mãe fugiu de casa com a filha tinha ele 4 anos. Decide fugir de casa em busca da liberdade e para escapar a uma profecia edipiana de seu pai.
A segunda personagem principal é Nakata, um senhor na casa dos 50 anos que, em criança entrou em coma após um acontecimento estranho no pós II Guerra Mundial, passando a ter a habilidade de falar com gatos e perdendo a capacidade de ler, desprovido de qualquer sentimento.

No meio da história juntam-se um ser andrógino, o coronel Sanders da KFC, gatos que comunicam com humanos, prostitutas que citam Hegel, entre outros.

Não é de achar estranho numa leitura de Murakami a mistura entre o fantástico e o real, onde se conseguem ter conversas com pessoas que viveram no passado bem como diálogos com pedras, ou sanguessugas que caem do céu inexplicavelmente.
Também já podem estar à espera que nos diálogos se fale de bons livros, filmes e boa música, não tivesse Murakami-san sido proprietário de um bar de jazz.

Na minha opinião este livro consiste na necessidade que nós, seres humanos, temos de encerrar ciclos sob pena de vivermos uma vida como se estivéssemos mortos, ao mesmo tempo que por mais que queiramos fugir não conseguimos escapar daquilo que é inevitável.

Apesar de achar que o fim é inconclusivo, acho que também era essa a intenção do autor, já que acaba por nos dar liberdade de escolha de como queremos que acabe a história.

Dá-nos verdadeiras lições sobre o que é o amor e a amizade bem como a necessidade de olharmos para nós mesmos e tentarmos perceber quem somos nós e para onde queremos ir.

Se tiverem oportunidade leiam este livro porque vai-vos viciar, não se preocupem se acharem o livro grande, pois por maior que seja o livro e por mais pesada que seja a história, Murakami-san consegue transformar as palavras em música: as cenas sexuais e de horror são muito pormenorizadas mas as palavras são escolhidas cuidadosamente. Vão gostar.

À venda em:

WOOK
FNAC
CONTINENTE

Bom domingo e até à próxima.

sábado, 4 de janeiro de 2014

Ano Novo

Pois bem pessoal, fui para longe, Vila Nova de Foz Côa, festejar a chegada do novo ano.

Três horas de viagem em curva e contra-curva até chegarmos à aldeia onde o silêncio é tal que até faz doer os ouvidos.

Mal chegamos, tratámos de mimar os nossos sistemas digestivos.


Pão com alho queijo e tomate gratinado.

Bacalhau com natas acompanhado com um vinho da Adega Vila Real.

Depois foi tempo de festejar a meia noite.


O look para a passagem de ano.

No dia seguinte, no rescaldo da festa, seguimos para um jantar de petiscos.


Chouriça, alheira e morcela caseiras assadas na brasa.

Queijo feta em azeite, queijo brie gratinado e queijo curado acompanhado com vinho rosé.


Agora é tempo de voltar a vida real e começar com a treta das resoluções de ano novo a ver se aquilo que idealizámos em 2009 se realize em 2029.

Tenham todos um bom ano de 2014.
Até à próxima.